4 de maio de 2020

Caía a tarde feito um viaduto

Aldir Blanc - Foto: Reprodução redes sociais
Morreu hoje, no Rio de Janeiro, vítima de complicações provocadas pela COVID-19, Aldir Blanc. Escritor e compositor brasileiro, autor de clássicos eternizados na voz de Elis Regina, como "O bêbado e a equilibrista",  que tornou-se uma espécie de hino informal da Anistia.

Aldir Blanc foi parceiro assíduo de outro grande da música brasileira, João Bosco, com quem compôs "Mestre sala dos Mares", "De frente pro crime", "Dois pra lá dois pra cá".

A segunda-feira fica mais triste. E esse 2020 vai ficando mais repleto de quartas-feiras de cinza.

Aldir e João Bosco
Foto: Fabio Motta