31 de outubro de 2011

Fartura

Não há feira sem farturas, Eduardo Gageiro, 1970.

2 comentários:

Paula disse...

E eu que gosto tanto (demais) delas! Nham, nham!

Paula Nunes Lima disse...

Que delícia!