26 de setembro de 2013

uma carta da extremosa mãe ao seu amado filho


a 29 de outubro de 1826, carlota joaquina escrevia em queluz mais uma carta ao seu filho miguel avisando-o que tinha um pouco mais inimigos que amigos.

‘ainda que não tenha tido resposta nenhuma tua a três cartas que te escrevi, uma em 7 de julho, outra em 28 de agosto e a terceira em 23 de setembro, não hei-de deixar de te avisar de tudo o que saiba a teu respeito, para que estejas prevenido e não caias nos laços que te querem armar, para tua e nossa desgraça.

peço-te que ainda que te preguem e pintem com todas as boas cores que eles possam a tua ida para o rio de janeiro, que não vás, porque eu sei que é para te agarrarem lá e darem cabo de ti; nem metas o pé em nenhuma embarcação e muito menos na nau que vier do rio de janeiro buscar-te…’

dois anos depois o rei absolutista tomava posse

1 comentário:

Inês Rocha disse...

Conselho de mãe leva sempre a bom porto!