11 de julho de 2011

O gato da calle Lope de Vega



Altivo e olhando os transeuntes da varanda, ostentava uma expressão exclusiva dos felinos. Lembrei-me subitamente de um exemplar idêntico que tive há muito. O gato Jeremias saltava as janelas das habitações vizinhas às da pequena casa sobre a praia, tendo chegado a roubar uma posta de peixe que - segundo a proprietária do apartamento próximo - se destinava à confecção de rissóis. Confesso que na altura receei associar o misterioso desaparecimento ao aventureiro gato de cor amarelada. Hoje estou certa de que terá sido ele o autor do crime: a astúcia e um grande sentido de independência são marcas destes animais. Encontrando-se o sósia no país vizinho lembrei, uma vez mais, os primeiros versos do poema inédito de Lorca, felizmente encontrado há cerca de vinte e cinco anos:

Mefistófeles casero está tumbado al sol.
Es un gato elegante con gesto de león,
bien educado y bueno, si bien algo burlón.

6 comentários:

jose quintela soares disse...

Só quem tem ou teve gatos sabe apreciar a independência, a inteligência, a personalidade, o asseio, e a dedicação que os caracterizam.
Bem nos antípodas dos cães.
Experimentem mandar um gato sentar-se...

teresa disse...

Concordo com a caracterização feita, JQS, mas os cães também são dedicados e inteligentes, se bem que mais dóceis e dependentes dos seus donos:) (diz alguém que ao longo da vida tem tido cães)

Luísa disse...

Desculpe lá, Teresa, mas o seu gato a roubar peixe não tinha nada de especial.
Especial, especial é um gato que foi notícia de jornal há coisa de um mês. Todas as noites o bicho surripa tudo o que encontra nos jardins dos vizinhos e toca a levar para casa... Os donos do bicho andaram a avisar a vizinhança que caso sentissem falta de alguma coisa era favor contactar a casa do gato cleptomaníaco. A ilustrar a notícia tinha uma foto de uma mesa de jardim (daquelas que dá para 8 pessoas à vontade) coberta com botins, luvas de jardinagem, toalhas de banho, t-shirts, lenços, chapéus...
Gato fresco!!!!!!! :D:D:D

Nunca tive gatos, mas não gostaria de ter... com a sua autonomia enchem tudo de pêlos... E sempre que passo por algum que está empoleirado mais ou menos ao nível da minha cara, tremo com a ideia de ele poder me saltar para a cara (naõ sei porquê, até porque eu nunca tive traumas com gatos!).

VdeAlmeida disse...

Gosto de gatos e de cães, pelo que o que a seguir digo não é influenciado por qualquer tipo de preferência.
Está comprovado que os gatos se dedicam à casa - tive um que, desaparecido vários dias, me veio morrer à porta (envenenado) - enquanto que os cães se dedicam aos donos. E é evidente que um cão faz é uma companhia mais constante.
Quanto ao facto de os gatos não se sentarem, não corresponde à realidade: o tal que me mataram, fazia-o, bem como a outras "habilidades".
Agora tenho uma cadela, e nunca tive um gato mais asseado que ela.
Concluindo: as generalizações...

Vic
(http://aruainclinada.blogspot.com/)

teresa disse...

Esse gato merece realmente honras de noticiário, Luísa, vá-se lá compreender o que se passa numa mente tão elaborada. E consigo achar-lhe graça, mesmo como o descreve... Talvez por não ter desviado os meus pertences:)))

teresa disse...

Também não generalizo, Vic, e vou espreitar o post que indica. Cada um (cão ou felino dito doméstico) com o seu pessoal encanto:)